quinta-feira, 23 de maio de 2013

Conta gotas



Vejo seu corpo despido entre os lençóis ao meu alcance.
Memorizo cada milímetro da sua superfície, da sua perfeição.
Não ouso tocá-lo, temo que acorde e se vá.
Em minhas lembranças guardo o eterno paraíso da infinita repetição.
Daria uma gota de minha alma por um beijo.
E de gota em gota até que reste somente a última gota, o restante de minha alma, que, enfim, trocaria pelo seu beijo.

Marco Aurélio Gomes Júnior.


3 comentários:

  1. Extremamente lírico!!!
    A visão apaixonante do ser amado entre os lençóis...A visão mágica desse instante que se eterniza a cada momento e a ousadia de quem troca a vida a cada gota por um pouco mais de vida... até restar somente a alma em essência...
    Lindo texto, poeta!
    Cada vez, melhor! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Gilvânia, a essência da alma é a parte mais bela do nosso ser. Fique atenta para os próximos poemas, acho que você vai gostar. Muito obrigado, minha fiel leitora e mestra. Beijos.

      Excluir